23 de fevereiro de 2007

ESPECIAL ZECA AFONSO na Antena 1

A música de Zeca Afonso ao longo de toda a 6ª Feira e Emissão Especial às 22:30. Convidados ,entre outros, Rui Pato, António Vitorino d'Almeida, Luis Pastor,João Afonso, Cristina Branco. http://www.antena1.pt/

A partir das 22:30 a Antena 1 realiza uma emissão especial no Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz onde Vitorino, Janita Salomé e ZéCarvalho cantarão canções do poeta. A emissão conduzida por Edgar Canelas contará ainda com a reportagem de Ana Sofia Carvalhêda a partir do Entroncamento onde João Afonso interpretará alguns dos temas do cantor desaparecido em 1987. Oportunidade ainda nesta hora e meia de emissão para escutar Zeca Afonso na voz de Cristina Branco numa gravação efectuada no Teatro de S.Luíz em Lisboa a 9 de Fevereiro.
Sábado às 19 horas uma hora de emissão com António Macedo e Henrique Amaro.Domingo às 9 da manhã e meia-noite Vozes da Lusofonia Especial com excertos de uma entrevista exclusiva da antena 1 gravada em casa de Zeca Afonso emAzeitão 1983.

6 Comments:

CAntonio disse...

Do outro lado do Atlântico, desejamos que as homenagens a tão nobre personagem sejam coroadas de êxito.

Saudações,

rui disse...

Sempre grande e incontornável Zeca. Saudações.

rui mota disse...

O tempo passa. O exemplo permanece. O futuro engrandece. Zeca sempre!

Anónimo disse...

É um dia que continuo a recordar com profunda tristeza.

S.FARIA disse...

ELEGIA AO MOR CANTOR


No vermelho da tinta com que escrevo
Simbolizo a cor do sangue vertido
Do povo nobre que te foi querido
Que recordar-to, aqui,ao vivo, m'atrevo.

Atrevimento d'alma que repiso
Porque cantar (como só tu!), não sei
Mas fiel e seguidor como um frei
Erguerei a voz, até meu juízo.

É pobre, porém, a minha homenagem
Para quem, tão sublime, merece
Dever estar no topo da linhagem.

Honraria que muito tarde peca
Em não surgir como se fora prece
Ao nosso mor Cantor, o Grande ZECA.

23-02-2007
MI-FA-RE


(Dia em que se completam 20 anos da morte de José Afonso)

Rui Pato disse...

Escreveu-me Assis Pacheco, também já falecido no 10º aniversário da morte do Zeca em 1987: " O Zeca morto começa a ser pasto para a vampiragem oratória, e nalguns casos é óptimo, oportuno, bem-vindo investimento emocional. Eu também suspeitava que isto ia acontecer." ( fim de citação)