19 de junho de 2006

Timor - As coisas vão-se esclarecendo

1 - Uma linha de força é dizerem mal do Alkatiri. Mesmo entre os jornalistascom mais pruridos, fica bem dizer que no mínimo Alkatiri não teve jeito, nãosoube lidar com a situação e não tem apoio popular...Pois bem, de uma formadirecta: Alkatiri é culpado de ter negociado as questões do petróleo semcorrupção, sem tirar nenhum proveito pessoal, apenas a pensar no seu povo. Éculpado de ter defendido o mar de Timor e o governo da Austrália não gostou.É culpado de ter feito um concurso público para a concessão das exploraçõespetrolíferas (que foi elogiado pelo Banco Mundial... pasme-se!) mas esseconcurso não atribuiu nenhuma concessão às companhias petrolíferasaustralianas e estas não gostaram... Em 2005, durante semanas houvemanifestações organizadas pelos católicos, com apoio do bispo de Dili,contra o Alkatiri, foram no máximo 5.000 pessoas. Nessa altura também sedisse "Abaixo Alkatiri" e também se perguntou onde estava o apoio ao Governoe à Fretilin e ao Alkatiri. Quando acabaram essas manifestações realizou-seum comício da Fretilin (em 20 de Maio de 2005 - há fotos) de apoio aoGoverno e a Alkatiri. QUANTOS ERAM? 40.000. Porque não foi mais cedo? paraevitar confrontos...2 - a segunda questão é que a Austrália se assume como força ocupante! Não énovo, já o fez no passado nas Ilhas Fiji e há bem pouco tempo nas IlhasSalomão, mas está lá tão longe da Europa que nem reparamos e as notícias dãoo que dão... por exemplo ainda alguém se lembra da intervenção americana emGranada e alguém ouviu falar em eleições depois disso? A Austrália sempreapoiou a ocupação pela Indonésia e com a Indonésia discutia a partilha dopetróleo até... que tudo mudou...A Austrália quer decidir o futuro de Timor,substituir o Governo e o Parlamento, suspender parte da Constituição,liderar todas as forças militares dos diversos países que aí seencontram...Já se sabe que as tropas Australianas protegem os chamadosrebeldes...Já se sabe que as tropas Australianas queriam pôr em respeitinhoa GNR de Portugal...Já se sabe que agora as tropas australianas invadiramuma casa onde estavam médicos... cubanos...Já se sabe que querem um outrotipo de leis em Timor... A Austrália, mais a Inglaterra e os Estados Unidostêm um tipo de justiça diferente do resto do mundo (os juristas queexpliquem), não têm o direito romano... e Timor seguiu os critérios dajustiça internacional, fez a sua constituição, está a fazer os seus códigos,civil, penal, etc...mas não é à moda da Austrália, também por isso (mas nãosó) o governo australiano quer "substituir o aparelho judicial em Timor", ostribunais em Timor e juristas (que por acaso até estão lá em missão da ONU esão portugueses e brasileiros...e etc.)...O Tribunal de Recurso e os outrosTribunais de Timor foram destruídos e vandalizados, o que não foi furtadofoi destruído! E por exemplo foram roubados os PROCESSOS DOS CRIMES DE 1999que ocorreram após o referendo! e a tropa australiana deixou ocorrrer essesaque e destruição... porquê? adivinhem! Acho que a questão essencial queagora se decide é se as tropas internacionais vão ficar sob a direcção daONU ou sob a direcção da tropa que já está no terreno, isto é, da Austrália- há uma grande diferença e uma profunda influência quanto ao futuro...Antesde terminar quero ainda referir duas notas:- o profundo apreço pelos portugueses que estão em Timor e que nenhum saíuvoluntariamente! Mas queriam que saíssem; reparem que logo nos primeirosincidentes os Estados Unidos fizeram deslocar um avião para retirar osamericanos e ofereceram lugares à embaixada portuguesa para saíremportugueses...depois eram as imagens dos australianos a sair...e osportugueses aguentaram bem. Parabéns para o pessoal que está por lá!- os jornalistas estão a baralhar muitas notícias. Por exemplo, dizia oPúblico que alguns rebeldes tinham ocupado a fazenda Algarve "de MárioCarrascalão", bem a fazenda é do João Carrascalão (a quem foi assassinado umfilho em 1999, que está enterrado nessa herdade), o seu irmão Mário foi oúltimo Governador pelos Indonésios, e os dois irmãos nem se falavam por essemotivo. Será por acaso essa confusão entre Mário e João? O João não éFretilin mas tem cooperado com o Governo, por exemplo, foi nomeadoPresidente do Comité Olímpico de Timor...

2 Comments:

rui mota disse...

Como comentava, ontem, Pacheco Pereira na "Quadratura do Círculo", é necessário ler o "New York Times" ou o "The Guardian" para encontrar notícias e termos que o jornalismo português não usa. Por exemplo, "golpe de estado". Houve (está em curso), ou não, um golpe de estado em Timor? É que perceber isso, faz toda a diferença...

DOMINGUESREBELO disse...

AQUILO QUE O GOVERNO PORTUGUÊS NÃO
PODE DIZÊ-LO - E BEM, PARA NÃO INGERIR NAS DECISÕES INTERNAS DE TIMOR - TEMOS QUE SE NÓS A DENUNCIAR.
COMO PODE SER PRESIDENTE DE UM PAÍS, UM HOMEM QUE "BRINCA" NUM COMÍCIO "POPULAR" COM OS CHEFES MILIATRES E POLICIAIS QUE SE REVOLTARAM CONTRA UM GOVERNO LEGITIMAMENTE ELEITO?
QUAL É A AUTORIDADE MORAL DO XAXANA?
E DO RAMOS HORTA?
DE QUE LADO ESTÃO NO QUE TOCA AOS
DIREITOS MARÍTIMOS DO MAR DE TIMOR?