29 de julho de 2007

Ouvir o disco "República" (pela primeira vez para muitos de nós!)

"República" foi gravado em Roma, em 30 de Setembro e 1 de Outubro de 1975, nos Estúdios das Santini Edlzioni. Álbum de solidariedade para com o jornal República e a Reforma Agrária, editado em 1975, com interpretações de Zeca e de Francisco Fanhais, que inclui um tema inédito, Foi no Sábado Passado, escrito a propósito de uma manifestação de solidariedade com a revolução portuguesa, realizada em Roma. Os outros temas são Para não dizer que não falei de flores, do brasileiro Geraldo Vandré, Se os teus olhos se vendessem, Canta camarada, Eu hei-de ir colher macela, O pão que sobra à riqueza, Vampiros, Senhora do Almortão, Letra para um hino e Ladaínha do Arcebispo. Editado por iniciativa conjunta do Manifesto e das organizações Lotta Continua e Vanguardia Operaria, nunca foi distribuído em Portugal. O produto da venda dos discos destinava-se ao apoio da Comissão de Trabalhadores do Jornal "República" ou, caso o jornal fosse entretanto extinto, ao Secretariado Provisório das Cooperativas Agrícolas de Alcoentre.
Em http://www.uc.pt/cd25a/wikka.php?wakka=Coopera (Centro de documentação 25 de Abril da Universidade de Coimbra) fomos encontrar este disco raríssimo de José Afonso e Francisco Fanhais que contém músicas nunca editadas em CD e que aqui temos oportunidade de ouvir pela primeira vez.


Aparece aqui com o título "Per le cooperative agricole portoghesi de José Afonso e Francisco Fanhais"

1 - Para não dizer que não falei de flores (Geraldo Vandré)
2 - Se os Teus Olhos se Vendessem (Popular)
3 - Foi no Sábado Passado (José Afonso)
4 - Canta Camarada (Popular/José Afonso)
5 - Eu Hei-de Ir Colher Marcela (Popular/ José Afonso)
6 - O Pão que Sobra à Riqueza (Quadras de José Afonso com a música "Vira de Coimbra")
7 - Os Vampiros (José Afonso)
8 - Senhora do Almortão (Popular Beira-Baixa/José Afonso)
9 - Letra para um Hino (Manuel Alegre/Francisco Fanhais)
10 - Ladaínha do Arcebispo (José Afonso)

1 Comment:

Eduardo F. disse...

E já agora (foi uma ideia que tive, eheh) a AJA não podia, juntamente com a A25A, editar este disco em cd?

O da Ti Chitas lá continua nas bancas... mas esse sumiria num ápice.
;)