13 de julho de 2009

Ontem, no jornal Público



A primeira imagem, no rosto do livro, é de uma caricatura: José Afonso por Vasco de Castro, viola a tiracolo e uma pomba no ombro direito com uma nota musical no bico. Lá estão o cabelo revolto, figurado em fortes salpicos de tinta, e os óculos de massa escura que lhe haveriam de moldar o rosto. O rosto de alguém que "ousou anunciar a possibilidade de um mundo diferente, mais justo, fraterno e equilibrado", como escreve Irene Flunser Pimentel na Fotobiografia de José Afonso, o título mais recente da série de álbuns do Círculo de Leitores dedicada a personalidades marcantes do século XX português. Voz única, límpida, misteriosa, expressão de um trovador moderno sem par na nossa história recente, o cantor faria 80 anos a 2 de Agosto de 2009 se uma doença degenerativa incurável não lhe tivesse tolhido o caminho a 23 de Fevereiro de 1987.O livro mostra-nos, a par de imagens já tornadas iconográficas, muitas outras, inéditas ou reproduzidas pela primeira vez com a qualidade desejável: bebé de caracóis, com um ano, na Aveiro onde nasceu; de calções e tambor nas mãos, aos 3 anos; com os irmãos João e Mariazinha em Luanda nos anos 30; com a farda da mais tarde odiada Mocidade Portuguesa; com o primeiro filho ao colo, em 53; ainda jovem, entre Coimbra e África. E depois os fados de estudante, o despontar da balada, os tempos de professor em Faro (onde conheceu Zélia e se casou pela segunda vez), o nascer de Grândola em 1964.
E tudo o mais que havia de vir: o cantar quase às escondidas, discos riscados com um prego pela censura para não tocarem na rádio, Moçambique como trampolim para novos voos. Ironicamente, foi a ditadura que o empurrou em definitivo para as canções, ao negar-lhe, a partir de 1968, o regresso ao ensino. Gravar disco seria o seu ganha-pão. Mas só uma editora não lhe fechou as portas: a Orfeu de Arnaldo Trindade, no Porto.
O livro percorre em fotografias, cartazes, capas de discos, livros e revistas tudo o que se seguiu até ao 25 de Abril e para lá dele. Para a história de José Afonso, depois do que já fora publicado por José António Salvador, Viriato Teles, João Afonso dos Santos, Elfriede Engelmayer e muitos outros, este será como que um livro dos livros, compondo pela primeira vez um retrato cronológico transversal às muitas resenhas biográficas já escritas. Tal como nos anteriores volumes da série, também este inclui uma árvore genealógica, cronologia, bibliografia e abundantes notas. N.P.

José Afonso
Fotobiografias Século XX

Direcção de Joaquim Vieira
Texto de Irene Flunser Pimentel
Edição Círculo de Leitores / Temas e Debates

2 Comments:

Rui Mota disse...

Boa apresentação, aquela ontem...

Eduardo F. disse...

Importa referir que há canções do Zeca que não conheceram ainda a edição em formato digital:

Além do Lp República, cito as versões instrumentais de "Ó Vila de Olhão" (a cantada apareceu aqui há uns anos numa compilação do Público) e a rapsódia "Os Vampiros - Menino do Bairro Negro - Balada Aleixo".

São canções a pôr perfeitamente ao lado do Epê (ou dos...) do Rui Pato.

E urge quem pode e tem que as distribua aí pela rede e as envie à AJA.

Eu gostava muito de as conhecer.
Obrigado.