11 de janeiro de 2006

Livro de visitas

Foi acrescentado à página da AJA um livro de visitas para que todos aqueles que nos visitam possam deixar uma palavra.
Que seja benvindo quem vier por bem.

1 Comment:

(Quelhas) disse...

Após 20 anos da morte de Zeca Afonso: 2007

Zeca Afonso,
Oh Zeca Afonso,
Foste sempre um “sonso”
No sentido da palavra,
Que lavra
A tua imagem,
Selvagem,
E de esperteza,
Da alegria,
E da tristeza,
Como homem,
E como cidadão,
Do peito,
E do coração,
Como professor,
E como mentor,
Como político,
E como analista,
Cívico,
E avalista,
Mas sempre um “sonso”
Camarada Zeca Afonso…
Se hoje fosses vivo,
Simplesmente em pessoa,
Cantarias “Grândola Vila Morena”
Cantarias numa boa,
Com tua voz serena,
Novamente o 25 d, Abril,
Nessa manhã Primaveril,
E seres sempre tu Zeca Afonso,
Um grande “sonso”
Porque para mim não morres-te,
Teu espírito será sempre infinito,
Vives dentro de mim,
E serás sempre o meu mito,
Para uma eternidade enfim,
Pois te digo,
“O que faz falta
É animar a malta”
E se o “fascista conspira na sombra”
Deixa o conspirar,
Nós estamos aqui,
É para o derrotar…
Em vida,
E em morte,
Que quem escreve fica na memória,
E nunca mais é apagado,
Mas sim lembrado,
Nem que ela seja paródia,
Fica em perseverança,
Em livros,
Ou até mesmo em disco,
A nossa festança,
Mesmo que “a morte saia à rua”,
Ficará sempre em lembrança …
Inspiração do Compositor…

O autor:
João Carlos Veloso Gonçalves
“Quelhas”